Saldo positivo de empregos reforça importância da continuidade dos negócios rurais

saldo-positivo

A agronegócio é o único setor da economia brasileira que está com saldo positivo na geração de emprego. Em julho, foram criados 24.465 novos postos de trabalho no país, um crescimento de 1,51%, segundo dados do Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

O bom resultado se mantém pelo quarto mês seguido, sendo o melhor do período desde 2010. No acumulado do ano, a soma já chega a 7,11%. O cultivo de laranja (7.110 postos), as atividades de apoio à agricultura (5.259 postos), o cultivo de plantas de lavoura temporárias não especificadas (4.867 postos) e cultivo de soja (3.067 postos) impulsionaram o desempenho positivo.

Esse momento de avanço da economia no campo mostra que as empresas rurais precisam ser fortalecidas, o que exige a profissionalização da gestão. A administração correta garante o crescimento da propriedade e permite novos investimentos para seguir com bons resultados por muitas gerações.

Cilotér Iribarrem, consultor em governança e sucessão familiar rural da Safras & Cifras, alerta que os gestores também precisam preparar a sucessão do negócio, já que grande parte dessas empresas são familiares. “A palavra-chave é antecedência. Afinal, quanto mais cedo for preparado o planejamento patrimonial e sucessório, maiores são as chances de a transição dar certo. É preciso organizar os bens, envolvendo os familiares e potenciais herdeiros e desenvolvendo um planejamento de longo prazo”, explica o consultor.

Com a implantação da governança na empresa rural e do planejamento sucessório, aumenta a possibilidade de a empresa ter sucesso. Isso garante que o agronegócio continue crescendo, diminuindo o êxodo rural, criando novas oportunidades de trabalho no setor – e, consequentemente, gerando bons resultados econômicos e sociais. ​

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.