Escola na Polinésia Francesa inaugura o maior jardim aquapônico do país

O ministro da Ecologia, Geffry Salmon, o ministro da Saúde, Beatrice Chansin, e o ministro da Educação, Michel Leboucher, realizaram no último mês a abertura de um jardim aquapônico implementado dentro da Escola Primária Fariimata, no bairro da Missão, em Papeete, capital da Polinésia Francesa, ilha do Taiti.

Também esteve presente na solenidade o ministro da Agricultura, que apoiou este projeto educativo sobre desenvolvimento sustentável, totalmente financiado por duas empresas privadas.

Duas associações especializadas em aquaponia e desenvolvimento sustentável, Fenua Environnement e Rima Ninamu, também trabalharam neste projeto, que é o primeiro na Polinésia, tanto por seu tamanho como por sua localização em uma escola primária.

Com o sistema de aquaponia, os estudantes participarão de aulas sobre desenvolvimento sustentável, ecologia e alimentação saudável. Além da produção de alimentos sem a utilização do solo, através da Hidoponia.

Aquaponia é o cultivo de plantas em “simbiose” junto com a criação de peixes. Esse método de cultivo tem sido usado há séculos, especialmente na América Central. Nesse sistema, excrementos de peixe são utilizados como adubo para as plantas cultivadas.

Aquaponia é, portanto, um termo formado pela fusão de palavras da aquicultura (criação de peixes ou outros organismos aquáticos) e a Hidroponia (cultivo de plantas em água enriquecida em minerais). A escola Fariimata foi equipada com um sistema amigo do meio ambiente e autônomo, com a água da chuva e uma bomba de água alimentada por energia solar.

A perspectiva é ampliar o projeto, levando o sistema de aquaponia para outras escolas do Taiti.

visto em http://www.revistahidroponia.com.br/noticias/noticia.php?noticia=28540

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.