Agronegócio expande e arrecadação de Campinas cresce 58% em 4 anos

A arrecadação de Campinas (SP) com o agronegócio aumentou 58% nos últimos quatro anos, segundo estatísticas do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural. Em 2010, o município recolheu R$ 340 milhões em impostos sobre circulação de mercadorias e serviços (ICMS), enquanto que a expansão do setor gerou R$ 540 milhões aos cofres públicos no ano passado.

“Nós temos produção muito grande de hortaliças e uma produção excelente de frutas. Elas são tão boas que são exportadas para muitos países”, destacou o presidente do conselho, José Amauri Dimarzio. Segundo a Prefeitura, a cidade produz 19 toneladas de produtos por ano.

Com a 14ª maior população do país, de acordo com números divulgados sexta-feira (28) pelo IBGE, a metrópole com 1,1 milhão de habitantes tem 408 km² em áreas rurais (51% do território), dos quais pelo menos 102,1 km² são ocupados atualmente por atividades ligadas à agricultura.
Novas linhas de alface são cultivadas em área rural de Campinas, SP (Foto: Reprodução / EPTV)
Perfil surpreende
Na Ceasa Campinas, quarta maior central de abastecimento do país, instalada às margens da Rodovia Dom Pedro I, os clientes se surpreendem quando descobrem que parte das frutas, verduras e legumes são produzidos em áreas da cidade.

O agricultor Salvador Orlando Brotto trabalha há 30 anos com o cultivo de abobrinha, chuchu, figo e goiaba em uma propriedade no distrito de Sousas. “Faço entregas em varejões daqui e eles se espantam por eu ser produtor de Campinas. Há muita agricultura ao redor da cidade”, contou.

A expansão do agronegócio, impulsionada por avanços na logística do município, também está atrelada às novas oportunidades de mercado para o setor e mudanças nos perfis. A agricultora Silvia Calusne conta que a família dela trabalha com produção agrícola há 60 anos, em uma propriedade no bairro Reforma Agrária. Para ela, o diferencial do negócio foi investir em alimentos que antes eram somente importados para uso em pratos da gastronomia.

“Vimos uma oportunidade de começar a produzir em nossas terras produtos diferenciados, mesmo porque já havia uma demanda”, explicou ao mencionar que na propridade com 15 hectares de área plantada trabalham os pais dela, dois irmãos, duas sobrinhas, além de 50 funcionários. “Desde o cultivo até o processamento e entrega”, falou. Além de hortaliças como couve e rúcula, a produção inclui aspargos, oito variedades de alface e flores comestíveis.
Flores comestíveis são produzidas em área rural de Campinas, SP (Foto: Reprodução / EPTV)
O que falta?
Para o presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural, o agronegócio da cidade pode crescer mais com incentivos.

“Temos vários desafios, faltam estradas vicinais para que transportem a produção, uma infraestrutura de telecomunicação, não existe telefone, há uma série de coisas que precisamos intervir”, explicou José Amauri Dimarzio à EPTV, afiliada da TV Globo.

De acordo com o conselho, 600 das 1.012 propriedades ligadas à produção agrícola já foram cadastradas pelo projeto “Rural Inteligente”. Uma das propostas é melhorar o acesso de serviços emergenciais (Guarda e Samu) às áreas, por meio do georreferenciamento das propriedades no município.

visto em http://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2015/08/agronegocio-expande-e-arrecadacao-de-campinas-cresce-58-em-4-anos.html

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.