Agricultores familiares ampliam a renda com produção agroecológica

organico1

Com o sistema de produção que integra, de maneira sustentável, a horta e com a criação de galinha caipira, cerca de 30 famílias, beneficiárias do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF/MDA), aumentaram a renda e promoveram importantes transformações na vida de centenas de pessoas em Nova Rosalândia (TO) e de municípios vizinhos.Depois de algumas tentativas frustradas com o plantio convencional, os agricultores familiares da Associação Pequenos Produtores Rurais Monte Alegre de Pium, decidiram mudar a forma de produção, substituindo os insumos químicos por adubos orgânicos no cultivo das hortaliças e na criação de peixes. O resultado foi uma produção mais saudável com grande aceitação na região.

Para o agricultor Elivandro Ribeiro, o conhecimento e a assistência técnica qualificada fizeram a diferença. “No começo foi bem difícil. Vimos na produção agroecológica uma alternativa de melhorar o ganho e a produção. Tivemos ajuda do técnico que nos orientou em todo o processo de transição. Montamos as hortas circulares e passamos a utilizar o esterco das aves e os restos das hortaliças como adubo e as galinhas na prevenção de pragas nas hortas. O resultado foi surpreendente.”

Mais conhecida como ‘Comunidade Só Se Vendo’, a associação comercializa a produção pelos programas de Aquisição de Alimentos (PAA) e de Alimentação Escolar (Pnae) e nas feiras de agricultores familiares em quatro municípios da região.

“Nossa vida melhorou bastante, além de termos aumentado nossa renda e a qualidade de vida de nossas famílias, ainda somos responsáveis pelo alimento saudável que as pessoas consomem. Isso é muito gratificante”, disse a presidente da associação, Irene Maria de Andrade.

Programa Nacional de Crédito Fundiário

O Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF) é uma política pública do Governo Federal criada para que os agricultores familiares sem terra ou com pouca terra possam adquirir imóveis rurais. O programa funciona como uma política complementar à reforma agrária, uma vez que permite a aquisição de áreas que não são passiveis de desapropriação.

Além da terra, o financiamento – que tem juros e prazos bem acessíveis – disponibiliza recursos para infraestrutura básica e produtiva, acompanhamento técnico e o que mais for necessário para que o agricultor possa se desenvolver de forma independente e autônoma. O financiamento pode ser individual ou coletivo.

Gerido pela Secretaria de Reordenamento Agrário (SRA/MDA), o programa já beneficiou mais de 136 mil famílias, sendo 3.798 destas no Tocantins.

visto em http://www.revistaplantar.com.br/agricultores-familiares-ampliam-a-renda-com-producao-agroecologica/

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.